Campanha #Abracenaopodeparar busca arrecadar fundos para continuar funcionando

Campanha #Abracenaopodeparar busca arrecadar fundos para continuar funcionando

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

A Anvisa deu um prazo de quatro meses para a associação se adequar às determinações impostas na resolução 327.

Nesta quarta-feira (17) a associação Abrace Esperança, com sede na Paraíba, anunciou uma campanha nova, chamada #Abracenãopodeparar. O objetivo é arrecadar R$300 mil reais para conseguir atender até 30 mil pacientes.

A entidade tem o direito de cultivo desde 2017, quando conseguiu uma decisão favorável na justiça. No entanto, sem uma lei específica para o plantio de cannabis, a entidade não seguia nenhuma legislação.

Dois anos depois, uma resolução foi criada para regulamentar a produção por empresas. A nova RDC 327/19 garantiu não só a fabricação de remédios, mas também de produtos à base da planta.

Contudo, no comecinho de março de março deste ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), paralisou as atividades da entidade, alegando que ela não estava enquadrada na RDC 327.

Mesmo sem nenhuma cláusula voltada às associações, a Abrace foi impedida de plantar e vender o óleo.  O pedido de suspensão dos direitos da entidade foi impetrado pela Anvisa no Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5).

No final da história, depois de uma visita técnica na mesma semana, o desembargador federal Cid Marconi do TRF5 deu um prazo de quatro meses para a Abrace se enquadrar às normas.

#Abracenaopodeparar

Diante deste cenário, todos tiveram que se mobilizar para agilizar a contratação de mão de obra, ampliação do laboratório, e compras urgentes. “Só dois containers foram 110 mil”, ressaltou Cassiano Teixeira, presidente da entidade.

Segundo Cassiano, a campanha foi ideia dos próprios associados e pessoas dispostas a ajudar, que ainda têm receio de a entidade perder o direito.

O dinheiro arrecadado será usado para adequar o atual laboratório segundo as exigências impostas pelo TRF.

Contudo, com a “reforma”, a entidade terá a capacidade de ajudar até 30 mil associados, o dobro de pacientes atendidos hoje.

Novas metas

Apesar da correria agora, a entidade ainda espera ter capacidade de atender até 100 mil pessoas no futuro.

O projeto é um novo laboratório de 4 mil metros quadrados, que junto com os equipamentos, tem a previsão de custar R$5 milhões.

Link da campanha: https://benfeitoria.com/abracenaopodeparar

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas