Estudo clínico vai testar o CBD para o tratamento da psicose

Estudo clínico vai testar o CBD para o tratamento da psicose

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Ao todo, serão recrutados 1 mil pacientes com tendência ou o diagnóstico de psicose na Europa e na América do Norte

Estudo clínico vai testar o CBD para o tratamento da psicose
Foto: Freepik

Cerca de 1 mil voluntários serão recrutados pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, para um novo estudo que vai avaliar a utilização da cannabis como tratamento e prevenção de psicose. 

Segundo os pesquisadores, o estudo clínico duplo-cego não ficará apenas no Reino Unido, mas também vai se estender pela Europa e América do Norte, e vai selecionar tanto pacientes com tendência ou com o diagnóstico da condição.

A avaliação vai dividir os participantes em dois grupos, um receberá uma medicação do CBD (canabidiol) e o outro placebo. Contudo, para participar da pesquisa, será necessário se enquadrar em alguns requisitos, como:

  • Alto risco clínico para psicose;
  • Ter sofrido algum episódio psicótico;
  • Não responder ao tratamento convencional.

“Muitas pessoas com psicose estão abertas a experimentar o canabidiol e estudos anteriores, de menor escala, indicaram que ele tem efeitos benéficos. Além de tratar a psicose já estabelecida, o estudo também investigará se o canabidiol pode prevenir o aparecimento de psicose em pessoas com alto risco de desenvolvê-la”, afirma Philip McGuire, professor de psiquiatria em Oxford e líder do estudo, em comunicado.

CBD para psicose

Atualmente, o tratamento principal para a condição são antipsicóticos, que, embora eficazes em boa parte dos casos, podem trazer efeitos colaterais significativos.

Felizmente a cannabis tem se destacado como uma opção mais natural. O CBD pode ter o poder de reajustar as atividades cerebrais, o que reduz os sintomas de esquizofrenia e bipolaridade.

Isso acontece porque o perfil farmacológico do canabidiol é semelhante a antipsicóticos. O que pode ser identificado em um exame de imagem de ressonância magnética, onde mostra que o canabidiol atua diretamente nas áreas relacionadas à psicose.  

Sem contar que o CBD parece não produzir efeitos colaterais significativos, comparados às medicações para os distúrbios.

Estudos

Os estudos não são novos, na verdade, são bem antigos. A primeira evidência antipsicótica do CBD apareceu em 1982, quando um estudo entre a interação do CBD e THC foi feito.

Um grupo de pessoas saudáveis ingeriu uma quantidade alta do tetraidrocanabinol e depois de canabidiol para saber se ele bloquearia a ansiedade causada pelo THC. O resultado não foi apenas o bloqueio dos efeitos da substância na ansiedade, mas também nos sintomas psicóticos.

Em 1995, uma paciente com esquizofrenia crônica, participou de um estudo para testar o CBD, depois de passar por vários efeitos adversos dos tratamentos convencionais. Foram apenas 4 semanas para os resultados começarem a aparecer.

De acordo com as avaliações usadas para medir o nível do distúrbio, os sintomas psicóticos diminuíram consideravelmente. 

Contudo, as evidências ainda são limitadas.

Consulte um médico 

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que poderá te orientar de forma específica e indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar na marcação de uma consulta com um médico prescritor, passando pelo processo de importação do produto até o acompanhamento do tratamento. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas