Família de menina que chegou a 200 kg luta na justiça para obter cannabis medicinal 

Família de menina que chegou a 200 kg luta na justiça para obter cannabis medicinal 

Sobre as colunas

As colunas publicadas na Cannalize não traduzem necessariamente a opinião do portal. A publicação tem o propósito de estimular o debate sobre cannabis no Brasil e no mundo e de refletir sobre diversos pontos de vista sobre o tema.​

Após a cirurgia bariátrica, a luta nos tribunais ainda não acabou. A criança ainda precisa dar continuidade ao tratamento, agora por meio da cannabis. 

Foto: Freepik

Milena de 11 anos chamou atenção dos noticiários nos últimos dias por obter na justiça o direito para a realização de uma cirurgia bariátrica. 

A operação havia sido negada pelo SUS (Sistema Único de Saúde), com base na portaria do Ministério da Saúde que autoriza o procedimento apenas para adolescentes a partir dos 16 anos.

 Contudo, a família venceu e a menina realizou a cirurgia no dia oito de dezembro e já teve alta nesta segunda-feira (19).

Mas a luta ainda não terminou. Agora, a briga na justiça é pelo direito de obter o óleo de cannabis para ajudar no seu tratamento que ainda continua. 

Condição genética

Milena tem uma mutação genética que impede que o seu cérebro compreenda quando ela está saciada, o que a faz comer cada vez mais. 

Moradora da região de Irati, no estado do Paraná, a cirurgia foi o último recurso após uma série de tentativas fracassadas. 

A menina precisou passar dois meses internada no Hospital do Rocio até fazer a operação. Enquanto isso, ela recebeu um acompanhamento multidisciplinar de nutricionistas, médicos, psicólogos, enfermeiros e fisioterapeutas. 

Leia também: Estatal faz acordo com empresas para a produção de cannabis medicinal

Como a cannabis pode ser útil?

Mesmo após a cirurgia bariátrica, a família de Milena ainda busca na justiça o direito de obter o óleo de cannabis pela justiça para dar continuidade ao tratamento da condição genética. 

A erva é conhecida por sua capacidade de provocar a fome, então parece paradoxal que a planta possa nos ajudar a perder peso.

No entanto, a cannabis também pode fazer o efeito contrário. Em 2018, uma equipe de pesquisadores em Indiana apresentou uma teoria sobre esse paradoxo

Eles sugeriram que a cannabis pode reduzir o armazenamento de energia e acelerar o metabolismo.

Como assim?

Os receptores chamados CB1, presentes no Sistema Endocanabinoide (sistema do corpo por onde a cannabis trabalha), podem parar de funcionar adequadamente com uma dieta desequilibrada.

O sistema endocanabinoide desempenha um papel fundamental na regulação do apetite e do metabolismo e no armazenamento de energia.

A maioria das dietas ocidentais é rica em ômega 6, mas deficiente em ômega 3, que pode superestimular os receptores CB1, contribuindo para a inflamação e aumento do ganho de peso.

Outros dados analisam especificamente o papel dos canabinoides no comportamento alimentar. 

Enquanto o THC (tetrahidrocanabinol), o principal composto psicoativo da erva, aumenta o apetite. Outros canabinoides, como o CBD (canabidiol) e o THCV (tetrahidrocanabivarin) -também conhecido como cannabis dietética-, parecem reduzi-lo.

De acordo com uma revisão de 2022 , há evidências de que o CBD pode reduzir o apetite e aumentar a sensação de saciedade. Em um dos estudos revisados, os participantes que receberam canabidiol, também tiveram uma queda no IMC após o tratamento.

Consulte um médico 

É importante ressaltar que qualquer produto feito com a cannabis precisa ser prescrito por um médico, que poderá te orientar de forma específica e indicar qual o melhor tratamento para a sua condição.

Caso precise de ajuda, disponibilizamos um atendimento especializado que poderá esclarecer todas as suas dúvidas, além de auxiliar na marcação de uma consulta com um médico prescritor, passando pelo processo de importação do produto até o acompanhamento do tratamento. Clique aqui.

Tags:

Artigos relacionados

Relacionadas