• 24 de setembro de 2021

Por que não usamos outros canabinoides da cannabis?

 Por que não usamos outros canabinoides da cannabis?

Getty Criative

Há mais de 400 substâncias presentes na planta que podem ter algum benefício à saúde. Mas por que ainda são pouco usadas? Entenda 

Além do Canabidiol (CBD) e do tetrahidrocanabinol (THC), a indústria de cannabis está começando a explorar outros dos mais de 100 canabinoides presentes na planta, principalmente para condições específicas. 

Hoje, canabinoides como o Cannabigerol (CBG) por exemplo, conhecido como mãe de todos os canabinoides, é explorado para possíveis tratamentos de glaucoma e tumores. Há farmacêuticas que até já lançaram produtos com a substância. 

Há especulações que outro canabinoides, como o Canabinol (CBN), possa auxiliar em tratamentos de algumas doenças, desde infecções causadas por bactérias até inflamações graves. 

Os chamados canabinoides ácidos ou crus, que são transformados em outros quando aquecidos, também estão começando a ser explorados, principalmente para tratar inflamações. 

Getty Criative

Mas será que ainda é cedo para utilizar outros canabinoides?

Segundo a  cientista e professora de farmacologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP), Alline Campos, parece que sim. 

Ela esclarece que pesquisas sobre os chamados canabinoides menores ainda são muito recentes e pouco exploradas. “O que temos são estudos pré-clínicos e In Vitro, são pouquíssimos trabalhos clínicos”, diz.  

Fora isso, o que há são relatos de pessoas que utilizaram estes compostos. E bastante marketing. Os indícios sedativos do CBN, por exemplo, já o tornaram um canabinoide emergente nos Estados Unidos

Os canabinoides ácidos, por exemplo, já são batidos no liquidificador com couve e limão para fazer suco. 

Instabilidade  

A pesquisadora ainda acrescenta que a cautela ainda precisa ser redobrada quando os vários canabinoides são facilmente convertidos em outros quando passam por algum tipo de processo. 

O CBG, por exemplo, já é resultado de um outro canabinoide chamado CBGA. Posteriormente o CBG é transformado em CBDA ou THCA, que depois de passar pelo processo de descarboxilação é convertido em CBD ou THC.

Já o CBN é um canabidiol derivado da quebra das moléculas de THC. Ele aparece naturalmente na planta à medida que envelhece. Ou simplesmente quando aquecido ou exposto ao oxigênio, o THC se converte em CBN. 

 

Tainara Cavalcante

Tainara Cavalcante

Jornalista e produtora de conteúdo no Cannalize. Amante de literatura, fotografia e conteúdo de qualidade.

Mais Notícias